31 de outubro de 2007

Foi na Travessa da Palha, que o meu amante, um canalha…

Joni Mitchell queixou-se, no discurso que fez quando foi nomeada para o Rock’n’Roll Hall of Fame, de que no princípio dos anos sessenta era extremamente difícil para uma mulher entrar no mundo da canção, nomeadamente arranjar um contrato com uma editora e gravar um disco.

Não sei se isto vos surpreende ou não, mas o facto é que as mulheres sempre foram uma minoria bastante minoritária no mundo da canção. Não vos posso dar números rigorosos, porque não os tenho, mas, nas poucas listas que tenho conseguido encontrar de autores e compositores de canções (normalmente do século XX – e com um peso grande dos primeiros 60 anos, é certo…), as mulheres são sempre à volta de 10%. É, aliás, também de 10% a taxa de feminilidade da minha discoteca, na música dita popular (incluindo rock, pop, soul, folk, etc., etc.) – e eu sou uma pessoa que me interesso por autoras compositoras.... Se, por exemplo, forem ao All Music Guide, e derem uma vista de olhos na lista dos 92 singers songwriters que eles consideram mais importantes (agora já sobretudo da segunda metade do séc. XX), só 16 são mulheres – sendo que várias delas são, de facto, só intérpretes ou principalmente intérpretes… Noutro dia, vi uma lista dessas que há dos “melhores álbuns de sempre”, só que esta feita a partir de uma compilação de dezenas de outras listas do mesmo tipo, e, em 100, há 2 (!) discos escritos por mulheres!

É claro que esta fraca representação das mulheres no mundo da canção não nos deve espantar, porque é apenas o reflexo natural da fraca representação das mulheres em todos os outros domínios da actividade artística – e em todas as outras actividades que trazem fama às pessoas… – e, muito especificamente, nas duas actividades que se juntam na canção: a escrita literária e a composição musical. Estou convencido, sem ter nenhuns dados concretos em que basear essa minha convicção, de que a percentagem de mulheres escritoras na totalidade de escritores é, ainda assim, mais elevada do que a percentagem de mulheres compositoras de canções na totalidade dos compositores de canções. Mas, por outro lado, a percentagem das mulheres compositoras de música deve ser ainda mais baixa. Dou-me conta, por exemplo, que na minha discoteca (que está muito longe de ser exemplar e que tampouco é extensa por aí além, mas mesmo assim…), não tenho uma única obra de música dita “erudita”, seja lá de que período for, escrita por uma mulher; e as de jazz contam-se pelos dedos de uma mão…

Agora: um dos resultados interessantes deste estado de coisas é que, desde as cantigas d’amigo à canção popular dos nossos dias, passando pelos lieder românticos e pela melodramática canção de massas do entre-guerras europeu, foram sempre os homens a pôr palavras na boca das mulheres que cantam. Quer a voz da canção diga

Ay Deus se sab’ora meu amigo / Com’ eu senheira en Vigo manho / (…) E vou namorada
ou

J’sais pas son nom, je n’ sais rien d’lui / Il m’a aimée toute la nuit, / Mon légionnaire ! / Et me laissant à mon destin, / Il est parti dans le matin / Plein de lumière ! / Il était minc’, il était beau, / Il sentait bon le sable chaud, / Mon légionnaire !
ou

Foi na Travessa da Palha / Que o meu amante, um canalha / Fez sangrar meu coração / Trazendo ao lado outra amante / Vinha a gingar, petulante / Em ar de provocação
ou

Perché, perché / La domenica mi lasci sempre sola / per andare a vedere la partita / di pallone? / Perché, perché / una volta non ci porti anche me?
ou

Comme un garçon / J’ai les cheveux longs / Comme un garçon / Je porte un blouson / Un médaillon / Un gros ceinturon / Comme un garçon / (…) Pourtant je ne suis qu’une fille / (…) Je ne suis qu'une petite fille / Perdue quand tu n’es plus là
etc., etc., etc., lembrem-se que, na maior parte das cantigas, as vozes femininas são… de homens.

1 comentário:

ninguem disse...

como diria o ALG... o vitinha é fidido! as coisas que este gajo se lembra pá, caraças, arre porra...

e tem lá olho nas gralhas, pá. penduraste-te no copy paste da artigalhada que tinhas aí e nem lhe deste uma revisão a la minuta

ao mais ao resto
louvo gabo e aprecio o trabalhito ssss'senhora