15 de março de 2010

Interlúdio

Porque será que, se uma palavra em -culo (honnis soient les espagnols qui mal y pensent…) ou -cula diz sempre uma coisa mais pequena do que a mesma palavra sem essa partícula, um versículo é mais comprido que um verso?

(Bom, dir-me-ão vocês, também não há muitos cubos maiores do que cubículos, e não é difícil arranjar tubérculos bem maiores que túberas, sobretudo se forem inhames, mas isso já são vocês a brincarem com as palavras… Já mais sérios seriam se me dissessem que canículas poucas vezes são canas pequenas, mas antes costumam ser caloraças daquelas em que, diria a minha avó, até assa canas (mesmo que grandes) ao sol… O mesmo sol, cujas claves, se lhe ficam expostas fracturadas clavículas, passam, claro, a ser de dó…)

Sem comentários: