9 de fevereiro de 2011

Há bocadinho, no mercado central

O vendedor de cordas de plástico chama-me quando eu passo:
"Boss, pergunte-me o preço das cordas, para vir comprar amanhã..."
"Boa tarde, como está?", digo-lhe eu, sem parar.
"... para se enforcar", conclui ele.
E desatamos os dois a rir à gargalhada.

Sem comentários: