25 de abril de 2011

Badoncali

Haverá ainda quem fale badoncali? Houve uma altura em que cheguei a falá-lo relativamente depressa. É um código que funciona assim: agarra-se numa palavra e tira-se-lhe um número qualquer de sons do início (no mínimo, uma consoante ou um grupo de consoantes), deixando uma vogal como som inicial. Depois, cola-se bad- (b- apenas, nalguns casos raros) no início do pedaço de palavra que ficou e acrescentam-se à nova sequência os sons que se roubaram no início, juntando-lhes um -i para rematar.

Badoncali é calão em badoncali: calãocal- = ão + bad- (antes) = badão + -cal- + -i = badãocali. Só que, por muito que seja concebido para não ser entendido por falantes do português, o badoncali é português, porque é falado por pessoas que têm na cabeça a estrutura do português. E não há o ditongo [ão] no meio de uma palavra, a não ser antes de diminutivos e aumentativos [o que é, de facto, um argumento sólido para defender que os sufixos aumentativos e diminutivos não são vulgares sufixos, mas isso é outra história] e a sequência ‑cali não é diminutivo nem aumentativo. É então necessário transformar badãocali em badoncali, aplicando-lhe as regras fonéticas do português.


Já ouviram falar disto? E já ouviram falar isto? Se calhar já, sem saberem o que estavam a ouvir…  

7 comentários:

Anónimo disse...

Eu gostava de aprender. mas não tenho quem me ensine.

Anónimo disse...

Eu conheço quem fale badoncali, no meu trabalho, e tenho treinado esse código regularmente.

A minha única dúvida é apenas nalguns casos. Por exemplo, como ficam palavras como "eu" e "à"? Será "badeuí" e "badái"? E "esta"? Fica "badestaí" ou "badaesti"?

No caso de "gosto", a minha escolha pessoal vai para "badostogui", ou então "badogosti"? Badalqui badonversi badelhariasaconsi? :P

Vítor Santos Lindegaard disse...

Bom, eu não sou grande especialista e há muito tempo que não falo isto, nem ouço falar, mas, se bem me lembro, preposições, pronomes e outras palavras funcionais muito pequenas não se transformam - "eu" fica "eu" e "à" fica "à". Quanto a badostogui e badogosti, as duas são possíveis, em princípio, mas penso que badostogui é mais normal e mais elegante, para não separar a palavra gosto na vogal final. Mas não posso dizer com certeza que seja assim, acho que há instabilidade no uso e, por conseguinte, várias opções legítimas.

Anónimo disse...

Muito obrigado, Vítor :)

Anónimo disse...

otario da merda não andes a espalhar o badoncali ai a toa apaga-me esta merda

Anónimo disse...

e o senhor ja agora esta mal nao e assim que se fala badoncali

Vítor Santos Lindegaard disse...

Caro anónimo,
quando diz "apaga-me esta merda", presumo que seja ao seu comentário que se refere, mas, embora compreenda que se envergonha do seu comentário, prefiro mantê-lo, porque é de grande valor filológico e uma importante contribuição para esta discussão.Quanto ao resto, eu percebo o paradoxo: diz que não é assim, mas não pode dizer como é, pelo que não nos resta acreditar em si sem ter qualquer razão para tal. Há quem esteja acostumado a tal, mas não é o meu caso...