10 de março de 2013

B4, B5 e por aí 4a

[Uma homenagem a Victor Borge, infelizmente ‒ peço desculpa ‒ só para quem fala inglês]

B-e-f-o-r-e, not b4: we speak English not bingo.
Encontrei isto no mural de uma amiga, no Facebook. 
“Parece mais batalha naval que bingo”, comentava ela com toda a razão. De facto, vê-se mal em que é que b4 é bingo. E mais: isto não tem nada a ver com a maneira como se fala ‒ before ou b4 “falam-se” exatamente da mesma maneira, são apenas duas opções de escrita de uma mesma palavra. A segunda é um rébus, código que consiste em “usar (…) pictogramas apenas pelo seu som, sem ter em conta o seu significado, para representar novas palavras”. Neste caso, b e 4 são logogramas, quer dizer, representam palavras (b e four) que podem corresponder, cada uma, a vários conceitos: a primeira, à letra bê, por exemplo, à nota si e outros; e, a segunda, ao número quatro e à quantidade quatro ‒ e mais…

Agora, a propósito de b4: 

O célebre comediante dinamarquês Victor Borge inventou um inglês inflacionário, de que não sei se já terão ouvido falar. Uma coisa útil, acho eu. Traduzo o que posso da primeira parte do sketch de Borge. A história que ele conta depois tenho de a deixar em inglês, que remédio*:
Há muitos anos, tivemos inflação na Dinamarca. Vocês sabem o que é. Quando há inflação, os números aumentam. Os preços aumentam. Tudo o que tem a ver com dinheiro aumenta… Mas a língua não. Agora vejam, temos números escondidos nas palavras, como wonderful [1-derful], before [be-4], create [cre-8], tenderly [10-derly]. Todos estes números podem ser inflacionados e acompanhar assim a economia, estão a ver, ficando assim... à altura das circunstâncias. Sugiro que acrescentemos uma unidade a cada um destes números, para ficarmos precavidos. Por exemplo, wonderful seria twoderful; before seria befive; create seria crenine; tenderly seria elevenderly; e lieutenant passaria a lieuelevenant. Uma frase como “I ate a tenderloin with my fork” seria “I nine an elevenderloin with my fivek”. And so on and so fifth. Tenho um livro que trouxe comigo, tenho uma história que vos quero ler, para ficarem com uma ideia da língua inflacionária, de como ela soa quando a usamos:
Twice upon a time, there lived in Sunny Califivenia a young man named Bob. He was a third lieuelevenant in the US Air Fiveces. Bob had been fond of Anna, his one-and-a-half sister, ever since she saw the light of day for the second time. And all three of them were proud of the fact that two of his fivefathers had been among the creniners of the US Constithreetion.
They were dining on the terrace. “Anna,” he said as he took a bite of a marinnined herring, “You look twoderful threenight. You never looked that lovely befive.” Anna looked twoderful, despite the illness from which she had not yet recupernined. “Yes,” repeated Bob, “You look twoderful threenight... But you have three of the saddest eyes I have ever seen.”
The table was tastefully decornined with Anna’s favorite flowers: Threelips. They were now talking about Anna's asiten husband, from whom she was separnined, while on the radio, an Irish elevenor sang “Tea for Three.” It was midnight. A clock in the distance struck thirteen. And suddenly, there in the moonlight stood her husband Don JTwo, obviously intoxicnined.
“Anna,” he said, “Fivegive me. I am only young twice and you are my two and only.”
Bob jumped to his feet.
“Get out of here, you three-faced triplecrosser!”
But Anna warned:
“Watch out, Bob. He is an officer.”
“Yes, he is two. But I am two three! Anytwo five elevennis?”
 “All right,” said Don Two as he wiped his fivehead. He then left and when he was one-and-a-halfway through the revolving door, he muttered:
“I'll go back to Elevennessee and be double again. Farewell, Anna. Three-de-loo, three-de-loo.”
E pronto, era isto.

P.S.: E a pontuação fonética de Borge, já agora, conhecem? Outra coisa muito útil.


 _______________

* Uso a transcrição do sketch de Borge encontrada em http://www.whysanity.net/monos/victor_borge.html, com algumas pequenas correções.

Sem comentários: