29 de agosto de 2013

O marmelo: em doce, em infusão e em calão

Para mim, chá de marmeleiro sempre quis dizer uma tareia e apenas isso. Mas descobri no outro dia, para minha surpresa, que é também o nome de uma infusão – de folhas de marmeleiro, sim – ou de diversos chás aromatizados – com folha ou óleo ou aroma de marmeleiro. Aliás, se procurarem em Google a expressão, ela nem refere mais vezes a tareia que os chás.








Se houvesse em português um calão rimado como o rhyming slang inglês, pensei eu, chá bem podia querer dizer tareia, mesmo sem ser de marmeleiro. Para quem não conheça rhyming slang, explico que, nesta forma de calão, se usa a primeira palavra de uma sequência de duas (Hampstead Heath) ou de um par “natural” (weasel and stoat) para substituir outra que rima com a segunda das duas – no primeiro exemplo, teeth, “dentes”, no segundo, coat, “casaco”. Assim, chá e torradas rima com porradas, pelo que se diria, por exemplo, «deu-lhe chá» para dizer «deu-lhe porrada». Constatei facilmente, claro está, que muita gente tinha já pensado em “chá e porradas” e “chá com porradas” antes de mim.

Chama-se o marmeleiro Cydonia oblonga. [Acho muito engraçado este nome. Apetece tranformá-lo, com a grafia modificada, em personagem de BD: “As aventuras de Sidónia Oblonga, Tomo I: Chá e torradas em Hampstead Heath”.] Além do chá, o marmeleiro deu-nos a palavra portuguesa com mais fortuna fora do português – marmelada. Muitas vezes me interroguei sobre o porquê de tal fortuna: terão os portugueses exportado muita marmelada nalgum período da História, ao ponto de a marmelada portuguesa e a palavra que a designa se tornarem famosas pela Europa fora? Curiosamente, as palavras que derivam de mamelada nas outras línguas (nas que eu conheço, isto é) não significam marmelada, mas sim doce de frutas e algumas delas referem especificamente os doces de citrinos. Às vezes é assim, com as palavras e não só: espalha-se melhor o que passa a ser outra coisa nos sítios onde se espalha….

Sem comentários: