19 de janeiro de 2010

Que bom que deve ser ser-se já velho

La vejez (tal es el nombre que los otros le dan) / puede ser el tiempo de nuestra dicha. / El animal ha muerto o casi muerto. / Quedan el hombre y su alma. (....)Jorge Luis Borges, "Elogio da la sombra"

Que bom que deve ser ser-se já velho,
do mundo ter já visto que no mundo
aquilo que há para ver ou não é muito
ou então – noutro olhar... – sempre demais,

ter alcançado já não desejar
nem o sexo de ninguém, nem alegria,
escusar o que não há e, ainda assim,
continuar a querer – e querer sem ânsias –

mais justo o tempo todo que há-de vir,
por muito que ele já seja pouco seu...
O que deve ser triste é se ser velho
nos traz em vez de paz só o temor:

da morte que se acerca, ou de ter
p’ra pouco servido a vida, de o mal
que por aqui espalhámos contar mais
do que algum bem que fizemos – se fizemos.

Que triste deve ser ser-se já velho,
e do mundo ter já visto que no mundo
aquilo que há para ver ou não é muito
ou então – noutro olhar... – sempre demais

3 comentários:

Anónimo disse...

Deixo este adjectivo: gostei

Bjs
Red

fernando disse...

que longo caminho este
o percorrido entre aqui
e aquele em que os betos
faziam cortes de cabelo
á delinquente juvenil
nos barbeiros da moda

que longo e belo caminho
o percorrido desde aqui
debaixo do sol no céu azul
sem anzol e sem temor
que bom sim será ser-se já velho

FMTV
um abraço dos grandes!!!!

a última estação disse...

Vive depressa
Que a vida é curta
Mas vive cada instante
Devagar
Passam velozes
Os dias felizes
Quem sabe se não está
Um a passar

Não há nenhum consolo
Em ser eterno
Viver só por viver
Só porque sim
A eternidade assim
É um inferno
Morríamos de tédio
Antes do fim

Por isso o tempo
É precioso
E temo-lo contado
É a nossa cruz
É como um diamante
Rigoroso
E como um diamante
Pura luz